Emergência

Em pacientes adultos que precisam de acesso venoso urgente (na sala de emergência, sala de cirurgia, etc.) é necessário distinguir pacientes com facilidade ao acesso venoso (presença de veias visíveis e bem palpáveis nos membros superiores) vs. pacientes com acesso venoso difícil - DIVA.             

O paciente “sem veias” obviamente não existe, mas muitos pacientes (cerca de 10% dos pacientes que chegam à emergência) possuem um patrimônio das veias superficiais dos membros superiores reduzido ou explorado, com veias superficiais que são dificilmente visíveis e/ou palpáveis. Esta categoria de pacientes é atualmente classificada pela sigla inglesa - DIVA (Acesso Venoso Difícil), geralmente referindo-se à dificuldade de acesso às veias superficiais dos membros superiores (isto é, localizadas a menos de 6-7 mm de profundidade).                  

Em caso de dificuldade no acesso às veias superificias dos membros superiores, é também possível inserir um cateter curto em uma veia superficial do pescoço (veia jugular externa no trato cervical) ou nas veias superficiais dos membros inferiores: esses acessos devem ser removidos dentro de 24 horas, devido ao alto risco de deslocamento (veia jugular externa) ou trombose venosa (nas veias dos membros inferiores).